2 de janeiro de 2011

Melhores e piores de 2010

Finalmente saiu a lista mais aguardada do ano: Os melhores e piores de 2010 do SMUB. Quando olhar a lista você vai dizer "Mas esse filme nem é de 2010!". Não interessa, na lista entram coisas que foram vistas/lidas/comidas/apalpadas/etc em 2010 pela equipe do SMUB.

Melhores Filmes:
A safra 2010 não foi das melhores. Com exceção do primeiro lugar, nenhum filme mereceu figurar entre os clássicos do cinema.

1- Mary & Max
O melhor filme de 2010 não foi um filme, mas uma animação em stop motion - aquelas de massinha. Bonito, inteligente, triste, engraçado, raro.

2- Tudo pode dar certo
Já virou clichê a crítica dizer que Woody Allen faz sempre o mesmo filme - mesmo que ele não tenha absolutamente nada a ver com o filme anterior. No fim das contas, quem se repete todos os anos com algo totalmente banal e previsível são os críticos.
3- Amor sem escalas
Vendido como uma comédia romântica tradicional, esse interessante drama sobre a solidão é quase perfeito, com bom texto, boas atuações e excelente visual.
4- Up
Um desenho. Vale pelos primeiros - e devastadores - quinze minutos.
5- Zumbilândia
Não é todo dia que lançam um filme de zumbis bem feito, que não se leva a sério, com ótimas piadas e uma atuação de luxo de Woody Harrelson.
6- Maldito Futebol Clube 
 Parece ser a especialidade do ator Michael Sheen interpretar pessoas do mundo real, como já fez com Tony Blair e David Frost. Aqui ele interpreta Brian Clough, técnico de futebol inglês. Até quem odeia futebol pode gostar do filme.
7- O segredo dos seus olhos
Quem disse que brasileiro não gosta de argentino? O filme foi uma unanimidade de público e crítica.
8- À prova de morte
Tarantino diverte com o que faz de melhor: reciclagem cinematográfica.
9- A Trilha
Entrou na lista pela surpresa. Fui ver na locadora achando que era uma bomba, pois tinha tudo para ser, incluindo a Milla Jovovich. Era um bom filme de DVD.
10- Antes que o mundo acabe
Por falta de opções, foi difícil achar o décimo filme da lista. Aí lembrei desse simples mas simpático filme brasileiro.

Piores filmes


Esse filme de excessivos efeitos especiais aplicou a fórmula de best-sellers como O Código da Vinci e Quando Nietzsche chorou: faz o espectador acreditar que sua miscelânea de baboseiras pseudofilosóficas confusas é na verdade algo profundo e inteligente.
2- Budapeste  
Para quem não leu o livro de Chico Buarque, é confuso, cansativo e extremamente pretensioso. Em compensação,  para quem leu, consegue ser pior ainda. 
3- A Ilha dos Mortos
Para um diretor como George Romero, que já fez clássicos filmes de zumbi, a decepção foi grande.
4- Um homem sério
Não se preocupe, os queridinhos da crítica Irmãos Coen sempre terão lugar numa lista como essa.
5- Tá rindo do quê?
O que dizer de um filme em que Adam Sandler se leva a sério?
6- Avatar
Admito, não vi e não gostei. Três minutos de trailer bastaram para eu achar uma chatice sem tamanho.
7- Falando Grego 
Sabe quando um filme é tão ruim, mas tão ruim, que dá pra rir das suas tosquices? Pois é, nesse não dá pra rir nem das tosquices.
8- Nova York, eu te amo
O primeiro da série - Paris, eu te amo - reuniu bons diretores com alguns curtas bem interessantes. Já a versão americana deixou muito a desejar, com histórias ou bobas e previsíveis ou pretensiosas e experimentais demais.
9- Sempre ao seu lado 
Sabe aquele filme que étão chato que você dorme depois de 15 minutos? Pois é, nesse só precisei de 5 minutos pra cair no sono.
10- Pocilga
O diretor ficou tão preocupado em fazer um filme cabeça que esqueceu de fazer um filme. Mas pelo menos dá pra rir de tão ridículo.



Melhores Livros

1- Norwegian Wood, de Haruki Murakami
20010 foi o ano em que o Brasil descobriu o mais popular autor japonês da atualidade, principalmente por culpa da Alfaguara, que lançou inéditos e fez novas edições dos mais antigos de Murakami. Norwegian Wood, que deve virar filme em breve, é ainda o melhor.


2- O filho eterno, Cristóvão Tezza
Ganhou todos os prêmios literários possíveis e virou o xodó da crítica. Claro que fui ler o livro de Tezza já com má vontade, disposto a não gostar. Surpresa. Era mesmo o melhor livro do ano. Sim, ainda há vida na literatura brasileira.

3- A Valsa dos Adeuses, Milan Kundera
Um livro antigo, relançado na coleção Companhia de Bolso. Kundera em sua melhor forma.

4- What I talk about when I talk about running, Haruki Murakami
O romancista Murakami abandona a ficção e escreve um ensaio autobiográfico sobre uma de suas obsessões: a corrida.

5- Você pensa o que acha que pensa?, Julian Baggini
Escrito por filósofos, o livro de exercícios de pensamento "Você pensa..." mostra de forma divertida e ao mesmo tempo cruel que o que move nosso pensamento não é a coerência, a lógica ou a ética, e sim o egoísmo e o preconceito.



Piores livros:


1- Partículas Elementares, de Michel Houellebecq
O francês tenta ser um provocador, mas se revela apenas um mau escritor. A tradução do seu maior fã brasileiro, Juremir Machado da Silva, também não ajuda muito.
2- Roteiro. Syd Field
Um guia sobre a arte de escrever roteiros? Não, apenas um manual tosco para aprender a estrutura básica de um filme comercial. Criatividade ZERO.
3- Ainda Orangotangos, de Paulo Scott e Ovelhas que voam se perdem no céu, de Daniel Pellizzari 
Já que nenhuma editora quer publicar seus textos, amigos se juntam em uma panelinha para lançar seus próprios livros. No fim das contas, a brincadeira só deu certo para o Daniel Galera.
4- O Doente Molière de Rubem Fonseca
Nunca pensei que Rubem Fonseca pudese ser tão chato.
5- Ensaio sobre a lucidez, José Saramago
Mais uma vez Saramago nos presenteia com um livro repleto de suas principias características, que são a verborragia excessiva e a chatice absoluta.


Melhores discos
1- Weezer, Raditude.
Só posso ter muita pena de quem acha que Weezer morreu depois do Pinkerton.
2- Wilco, Wilco (The Album)
Bons, como sempre.
3- Julian Casablancas, Phrazes for the young
O cabeça do The Strokes em disco solo.
4- Jeff Tweedy
O cabeça do Wilco em disco solo.
5- Little Joy
Brasileiros compondo em inglês. Melhor assim.

Melhores comidinhas:

1- Burger de feijão com pimenta e guacamole, no Café Bonobo
2- Pastelzinho de batata com curry, no Casa Oriental
3- Sorvete de chocolate, na Casa Verde
4- Molho de pimenta, no Damask
5- Bolinho de aipim recheado, no Prat Burger

Melhor balada do ano:
Ah, esse ano fiquei em casa mesmo.

Acidente doméstico do ano:
1- Quebra da parede ao mover uma cadeira na cozinha, com a posterior colagem dos dedos com super bonder.
2- Vazamento do banheiro do vizinho de cima com a consequente queda do forro do meu banheiro.
3- Vazamento do meu banheiro para o vizinho de baixo.
4- Descongelamento da geladeira depois de faltar luz por seis horas, com a consequente mancha no carpete.
5- Quebra do DVD player.

Vídeo do Youtube do ano:
1- Whateva
Clipe e música excelentes. Ouça no volume máximo.

2- Panda
Comovente

3- Forgotten animals day
Só veja

4- Coreano irritado morre em elevador

5- Uma viagem de elevador
Uma emocionante viagem de elevador. Até o 9º andar muita coisa pode acontecer. Com roteiro bem bolado e um final surpreendente.



2 comentários:

  1. Rafael Bán Jacobsen8 de janeiro de 2011 18:46

    E onde se encaixa aí o filme "Os Famosos e os Duendes da Morte"? Fico curioso para saber sua opinião sobre ele...

    ResponderExcluir
  2. Pior que não posso dar opinião alguma, pois não vi o filme ainda. Confesso que o trailer me deixei curioso, mas não o suficiente para ir atrás. Na verdade tenho uma preguiça cada vez maior de ver filme brasileiro (e iraniano, francês, sueco, peruano, chileno..)

    ResponderExcluir

Colaboradores