16 de maio de 2010

Desculpe, foi engano

Um tempo atrás, numa certa manhã de sábado, toca meu celular. Como não reconheço o número, não atendo.
Alguns minutos depois, recebo uma mensagem de texto do mesmo número:

"Bom dia Lúcia.
Favor entrar em contato.
Mauro."

Não respondo. Imagino ser um contato profissional não solicitado, talvez mesmo indesejado, então ficar em silêncio é até um favor que faço para a tal Lúcia. Mas o remetente, horas mais tarde, envia outra mensagem:

"Oi Lúcia,
preciso falar contigo.
Se puder me retornar.
abç, Mauro."

Agora ele já adota um tom mais informal, mas, mesmo assim, ignoro e não alerto sobre o engano. No meio da tarde, o tal Mauro manda outra:

"Lúcia, tem algo que eu preciso te dizer.
beijo, Mauro."

Opa, agora já mudou tudo. Estou até curioso. O que estaria por trás dessa conversa unilateral? Mauro e Lúcia seriam colegas de trabalho? Mesmo assim, fico quieto e sigo com meus afazeres.

Lá pelo fim do dia, Mauro não consegue se segurar, e manda outro texto, finalmente revelando suas verdadeiras intenções:

"Quando olhar para o céu e ver as estrelas, lembre-se que em cada uma delas encontrará meus olhos. Te amo, Mauro."

Dessa vez entro em ação e respondo:
"Amigo, este não é o telefone da Lúcia. Mas boa sorte."

Ontem, de outro telefone, recebo o seguinte:
Mexendo nas coisas q guardo em meu CoRaCaO encontrei algo realmente valioso. Uma preciosidade rara d valor incalculavel: *Vc*! Bjs. BoM Domingo pra todos dai t amo mto

Dessa vez não respondi nada. Ainda. Alguma sugestão? Do jeito que a coisa anda, só recebo declarações de amor por engano mesmo...

Um comentário:

  1. acho que em vez de Dai era Di e vc tá aí achando que foi engano...

    ResponderExcluir

Colaboradores